sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

QUEM NÃO CUIDA DOS SEUS É PIOR QUE O INFIEL

          Trabalhar na Obra de Deus é indiscutivelmente maravilhoso. Você se realiza ao ver vidas sendo restauradas depois que se rendem aos pés de Jesus. Quando encerramos algum trabalho missionário sentimos um gostinho de quero mais.

          Porém, nossa rotina de vida não pode estar fundamentada apenas em fazer a Obra do Senhor. Nosso tempo também deve ser dedicado à nossa família, pois a Palavra diz que se alguém não tem cuidado dos seus, e principalmente dos da sua família, negou a fé, e é pior do que o infiel (I Tm 5:8).

          Há missionários que se ocupam tanto com suas atividades que esquecem completamente de seus familiares. Confundem o ato de trabalhar para Deus com a atitude de se dedicarem de forma integral à sua placa denominacional, deixando a família com as migalhas.

          Temos que colocar Deus em primeiro lugar em nossas vidas e a nossa família em segundo. As atividades da Obra devem ficar obrigatoriamente em terceiro plano.

          Muitos crentes se perdem e atraem para si conseqüências terríveis por não conseguirem encontrar o equilíbrio entre trabalhar para sua igreja e cuidar dos familiares. A vida ministerial é tão supervalorizada que muitos chegam em casa e encontram esposa e filhos de malas prontas para irem embora.

          Nosso maior ministério é a família. É a administração dela que deve ser priorizada. Se a sua intenção for viver exclusivamente da Obra, será uma loucura querer constituir um lar.

          Nossos filhos, maridos e esposas têm carências, necessidades e precisam de amor e atenção. Como é triste ver casamentos de verdadeiros servos de Deus chegarem ao fim por causa da falta de equilíbrio entre vida ministerial e vida familiar. Como é triste ouvir um missionário dizer em cima do altar que daria qualquer coisa para voltar no tempo e ter aproveitado melhor a infância dos filhos.

          Conciliar Obra e família não é nada fácil depois que aceitamos a Cristo, pois o nosso entendimento se abre e o nosso coração queima em relação à necessidade de anunciarmos as Boas Novas. Porém, o maior projeto do qual podemos participar é a família. Nossa atitude de nos preocuparmos com ela se refletirá em todas as atividades que viermos a desenvolver.

          A desestruturação da sua casa trará sérias conseqüências ao seu ministério e à sua própria vida pessoal. E dependendo da sua estrutura emocional e espiritual, você poderá até se afastar da presença do Senhor.

           Seja equilibrado! Não podemos priorizar o trabalho da Obra se a conseqüência disso for a destruição do nosso lar.

Paz!

Nenhum comentário:

Postar um comentário